segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

Filme: S Diary



Sinopse: Após seu último término de namoro, uma mulher vai atrás de seus ex para descobrir se a amaram.

Ultimamente estou vendo coisas em filmes e dramas asiáticos que jamais imaginei que veria algum dia em material do tipo. E não só nos mais atuais, como também nos mais antigos, como é o caso de S Diary e todo o seu poder de nos envolver em uma história de auto-descoberta mais adulta e triste. Talvez trazendo um pouco do clichê dos doramas colegiais, porém isso não é suficiente para tornar este filme tão ignorável ou dispensável em nossas listas. Aliás, quem pode perder a oportunidade de ter outro vislumbre de Kim Sun Ah sendo a Bridget Jones mais amada da Coréia?


Jini é uma mulher em meados dos 20 anos e procura amor e atenção em relacionamentos que não lhe oferecem nada mais que trabalhos domésticos e sexo. Após um término insensível, onde seu atual/ex lhe planta algumas dúvidas sobre quem ela é e como age dentro de um relacionamento, a mulher parte em uma busca minuciosa por suas lembranças para entender como eram seus outros três namoros e por que acabaram. Lendo seus diários e perguntando diretamente para seus ex-namorados, chega a uma conclusão que não queria, entretanto, era o esperado - por ela e pelo público. Kim Sun Ah, mais uma vez, está maravilhosa em sua personagem e se sai muito bem nas mais diversas situações. Trágica e cômica, consegue passar toda a tristeza, ansiedade e aflição durante as várias fases da juventude de Jini.


Goo Hyun é o primeiro crush de Jini. Maestro do coral da igreja em que Jini participava quando adolescente, sua vontade era de se tornar padre, o que veio a se tornar realidade algum tempo depois. Jini, na intenção de atrair os olhos do mocinho para si, mente para a mãe que tem dificuldades em inglês para que ele possa lhe dar aulas particulares. No maior clima de deixa a vida me levar, Hyun dá uns amassos em Jini quando estão sozinho em casa, no entanto, se arrepende, põe a culpa na garota e some. Claro que, quando Jini resolve se vingar dele, ela não deixa barato e lhe dá o troco a altura. 


Jeong Suk é o segundo namorado. Abusivo, sem emprego, exibicionista e ama apenas sua moto. Faz com que Jini faça desde o serviço doméstico até às compras para sua casa, por nunca ter comida em sua geladeira, e suas lições da faculdade. Jeong Suk é o clássico homem que quer apenas uma mulher que lhe sirva e "aqueça sua cama", se é que me entendem. Quando menos se espera, abandona Jini para se casar com a filha de um homem rico, que conheceu em um encontro às cegas. No futuro, ao se recusar a cumprir com as condições que Jini impôs a ele e aos outros, é um dos que mais sofre as consequências - engraçadíssimas, por sinal.


Yoo In é o a terceira decepção terceiro amor. É um grafiteiro de mão cheia e usa isso para conquistar Jini, fazendo um retrato dela em um muro na cidade. Diferente dos outros, Yoo In, inconscientemente, deixa claro desde o início as suas intenções para com Jini, afinal, era um filhinho da mamãe e não podia se envolver em um relacionamento sério sem que a matriarca lhe mandasse para o exército. De todos os relacionamentos, percebemos que este é um dos mais divertidos de Jini, pois Yoo In não era maduro e também não cobrava isso dela, apesar de que, geralmente, ela também fazia o serviço doméstico já que ele não se importava se a casa/porão estava suja ou não. O relacionamento acaba quando Jini "descobre" que ele a estava traindo, coisa que ela - e nós também - já imaginávamos.


Vendo os cartazes e alguns recortes de vídeos no youtube, a primeira impressão que se tem é que o filme é uma safadeza sem fim, mas não precisa tirar as crianças da sala, é tudo bem leve. Um dos poucos defeitos do filme foi a duração, que é de quase duas horas. Às vezes, se tornava cansativo e sem muito conteúdo para tal duração e, muitas vezes, pensei que estava próximo ao fim e não estava. Os personagens secundários foram apenas isso, secundários. Não interferiram muito na história e serviam apenas como suporte porque não tem como desenvolver um enredo deste com apenas uma personagem. E o que se torna louvável na produção é a evolução da personagem principal, que de adolescente vai a uma jovem adulta confusa, ansiosa e sedenta por vingança até chegar ao estágio de mulher que aprendeu com os próprios erros.

Mensagem Subliminar:

O que os olhos não viram e o coração não sentiu, a gente fuça até achar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário