sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Dorama: My Girfriend is a Gumiho


Sinopse: Cha Dae Woong é um garoto mimado, que foge do avô e vai parar em um templo. Durante a noite, ele sai aos arredores em busca do sinal de celular, quando recebe uma ligação misteriosa; a voz o obriga a desenhar nove caudas em uma raposa pintada, libertando assim uma gumiho.

OH GOD! Eu simplesmente amei esse drama. Fiquei meio relutante em assistir no começo, porque eu achava meio estranho essa coisa de "raposa de nove caudas", eu ficava sempre ligando o drama ao Naruto #fato.


Mi Ho - engraçado que com o passar do drama, quando Cha Dae Woong dizia Gu Mi Ho, ninguém se ligava na trollagem, né? - é simplesmente a criatura mais fofa e pura deste universo. Odeio o excesso desnecessário de fofura das asiáticas, mas eu simplesmente amei a Mi Ho, gente. Ela sim era um exemplo correto de inocência e ingenuidade sem ser estúpido. Gostei da maneira de agir dela, inocente, porém não burra. Não era orgulhosa nem invejosa, entretanto não deixava que pisassem nela e tinha um sonho: ser humana. Claro que desde o começo eu torci horrores por ela. E, quando a coisa apertava, eu ficava triste. Era mais ou menos "ELA VAI CONSEGUIR", "NÃO! COITADINHA, ELA NÃO VAI CONSEGUIR".


Cha Dae Woong é o cara riquinho, órfão e sustentado pelo avô. Em partes, ele é meio pastelão, confesso que ri horrores com as expressões faciais dele. Por causa disso Lee Seung Gi virou um dos meus atores preferidos! Dae Woong não é um cara de muita sorte. O avô quer meio que deserdá-lo, então, o garoto foge para o interior, indo parar em um templo. Quando sai em busca de sinal para dar um telefonema, recebe uma ligação estranha de uma garota que o manda desenhar nove caudas em uma pintura de raposa que parece mais um cachorro. No desespero, faz o que ela manda, libertando Mi Ho. Assim, ela passa a seguí-lo. Comparado a outros personagens do tipo, eu gostei muito do Dae Woong, achei que a atuação do Seung Gi foi simplesmente excepcional. 


Agora eu achei um pouco demais deixarem Park Soo Jin ficar com o papel de hater. Não que eu não goste dela. NÃO! Jamais! Adoro o trabalho dela, mas acho que para esse papel não foi uma boa escolha. Hae In foi mais um daqueles erros cênicos, que, na verdade, são tentativas de vilões. Os planos dela não davam muito certo - se bem que não eram planos muito inteligentes - e tudo que ela sabia fazer era dar uma de garotinha mimada que pode tudo! Me irritei profundamente - e me decepcionei também, né? -, mas ainda bem que ela não fez muita diferença no encaminhar do drama.


Diretor Ban e Min Sook foram o casal top na balada pastelona desse drama. Eles foram, tipo assim, meio que o ponto de equilíbrio do drama. Não que os outros personagens também fossem engraçados, só esses dois eram o ponto chave da comédia. Protagonizaram as cenas mais divertidas, vergonhosas e, às vezes, até românticas. Porém as cenas mais engraçadas foram sem sombra de dúvidas: Min Sook tropeçando e beijando a bunda da estátua, Diretor Ban com o corpo cheio de emplastro porque Min Sook gostava do cheiro e, sem falar, no casamento tumultuado pelo vovô Cha, né?


Esse é um dos grandes motivos para se assistir ao drama, sem dúvida alguma. Park Dong Joo é aquele elemento precioso que dá o mistério no drama. No começo, ele parece ser só um cara mítico, com pouco mais de 700 anos - se choque assim como eu -, disfarçado de veterinário. Essa é sua impressão de primeiro momento. Depois, quando persegue a Mi Ho na faculdade, ele parece ser um caçador de gumiho com aquela faca de chumbo - ou sei lá que raio é feito aquele bagulho, o importante é que é uma faca! Bom, tudo o que se sabe dele é: não é veterinário, tem mais de 700 anos, era apaixonado por uma gumiho no passado, mas a matou a pedido dela, o porquê disso ninguém sabe e é metade humano-metade alguma coisa que ninguém tem ideia do que seja. Eu gostei do mistério que ele causou, no entanto, achei que não revelar o que ele realmente é foi exagerado demais. As roteiristas deveriam rever a parte desse menino porque elas nem ao menos sugeriram, apenas deixaram as pessoas que assistem confusas. Realmente fiquei com a pulga atrás da orelha sobre quem ele era, que tipo de ser era, se era bom ou mau... enfim, eu só queria saber a história dele e o que ele realmente queria com a Mi Ho. Sem falar que, no fim, ele virou professor universitário. Como Dong Joo faria para explicar aos alunos que ele não envelhece nem um dia. Sim, porque um dia eles iam acabar notando que o querido professor deles era simplesmente o mesmo de 100, 200, 300, 700 anos atrás! 


Uma das coisas mais absurdas que aconteceram foi essa coisa tentar meio que fazer um merchan de You're Beautiful, colocando Mi Nyeo e Jeremy. Ainda o Jeremy se encaixou direitinho, mas eu senti que o roteiro ficou meio perdido na hora da Mi Nyeo. Quiseram enfiar ela lá de qualquer jeito e não souberam como. Pensem comigo: se Mi Nyeo cresceu em um convento, mais precisamente, no orfanato do convento, no interior, como ela teria estudado com o Dae Woong na cidade grande, se ela nunca havia saído do convento? Se alguém tiver a resposta, por favor, me responda.


O episódio 16, o último, que passa o centésimo dia deles juntos foi o mais triste para mim. Pela primeira vez eu não chorei com o personagem da comédia e, sim, com os principais e seu momento triste. Mi Ho estava a ponto de desaparecer e Dae Woong queria fazer algo especial para que pudessem ter memórias um do outro de como havia sido maravilhoso o tempo que passaram juntos, porém não foi tão bom assim. Tudo que eles queriam fazer não podiam, como a fonte estava em manutenção e só voltaria a ativa no dia seguinte, a ahjumma do frango havia viajado e só voltaria no dia seguinte, o ingresso que tinham para o cinema era para o dia seguinte... Momento triste.


Mi Ho e Dae Woong terem terminado juntos me deixou alegre. Foi um drama, em partes, que evolui com toda aquela coisa de os dois mudam um pelo outro e pelo amor que sentiam. Só achei que muita coisa ficou sem explicação e outras foram sugeridas sutilmente, como Mi Ho e sua única cauda no final. A explicação é: ela tornou-se metade humana-metade raposa. Seguir a mesma linha de You're Beautiful não foi uma das melhores ideais das roteiristas, em alguns momentos a coisa não andava, o galãzinho demorou para assumir seu amor pela raposinha, entre outras coisas. Mas e daí? É um drama que eu super recomendo porque eu amei ele!

Mensagem Subliminar:

Nova brincadeira: desenhe nove caudas na raposa e ganhe de brinde uma namorada que pode comer seu fígado!

Um comentário:

  1. OOO Q fofo o seu blog.Adorei as resenhas,você aceita parceria?

    ResponderExcluir