terça-feira, 3 de janeiro de 2012

Dorama: The First Shop of Coffee Prince


Sinopse: Go Eun Chan é uma mulher trabalhadora que topa qualquer emprego honesto que lhe ofereçam para sustentar sua família; até que é contratada por Han Kyul para ser seu amante achando que ela é homem para fugir dos encontros às cegas que sua avó arranja para ele.

Como já é de se esperar, é mais um daqueles dramas em que tem a menina pobre, que se veste de homem por alguma causa "nobre"; e tem um cara que é rico, não quer nada com vida, casar nem pensar, com um trauma familiar, mas que, no fundo, no fundo, é gente boa. Nada muito diferente de todos.


Quando eu comecei a assistir esse drama, eu fiquei meio entediada, confesso. Não gostei muito, porque eu estou acostumada a dramas pastelões que fazem você rir até quando o cara tá sentado, parado e quieto! Mas com o passar do tempo, comecei a simpatizar com ele, me agradar da Eun Chan, achar que o Han Kyul era bonito, achar graça nos meninos que trabalhavam no Coffee Prince, criar uma raiva profunda da avó do Han Kyul e achar os acontecidos nos encontros às cegas do Han Kyul impagáveis.


Go Eun Chan virou arrimo da família aos 16 anos, quando pai dela morreu. É uma daquelas pessoas trabalhadoras e batalhadoras que topa tudo pra conseguir sustentar a mãe e a irmã. Constantemente é confundida com um homem por se vestir de maneira "diferente" do que é considerado feminino na sociedade atual e tem 1001 empregos. Descasca castanhas, costura olhos em bonecos de pelúcia, dá aulas de taekwondo para crianças, entrega comida para um restaurante, entrega leite de manhã cedo... Mas, logo após tentar proteger de Min Yeop da cadeia - por tentar assaltar Han Yoo Joo -, ela é demitida de um dos seus empregos por quebrar a moto do restaurante e é obrigada a pagar pelo concerto. Sendo assim, ela vai atrás de Han Kyul - que estava com Yoo Joo na hora do assaltato e acha que ela é comparsa de Mi Yeop por ajudá-lo -, e pede a ele o dinheiro que ele prometera para ela. Assim ela começa a trabalhar como seu amante nos encontro às cegas. Que confusão, hein?


Choi Han Kyul é o que se pode chamar de VSPA Vagabundo Sustentado Pela Avó! Claro que o motivo pelo qual ele não trabalha é porque estava esperando a confirmação de sua ida para a América, para trabalhar em uma fábrica de brinquedos. Mesmo assim, ele ainda não trabalha, tem quase 30 anos e é sustentado pela avó. Não tem interesse em se casar, porque é apaixonado há 9 anos por Han Yoo Joo, por isso, quando vê a oportunidade, contrata o "jovem trabalhador", como chama Eun Chan, para ser seu amante e fugir dos encontros às cegas que sua avó arruma na esperança de que o neto case-se de uma vez por todas. A única coisa com a qual ele não contava é que teria de trabalhar em uma cafeteria e aumentar as vendas em três meses, caso quisesse ir para a América. Contudo, ele reforma o prédio e abre o Coffee Prince, onde só trabalham homens e é aí que Eun Chan ganha um motivo para mentir que é homem...


Han Kyul só aceita abrir o Coffee Prince porque Eun Chan insiste para que ele faça isso e a contrate para trabalhar lá. Ele decide fazer isso, mas somente a contrata por pensar que ela é homem, ou seja, ela se torna um dos quatro príncipes do Coffee Prince. Até então, ninguém sabia que ela era mulher, só que a coisa começa complicar quando Min Yeop - mais fofoqueiro que ele só o Ha Rin! - descobre e conta para Sun Ki.


Só eu adorei o Han Sung? Ok, ele não é bonito, mas foi um dos personagens que eu mais gostei. Ele era amiguinho da Chan, apaixonado pela Joo, primo do Kyul e, pelo que eu percebi, um ótimo produtor musical. Gente, já de cara eu simpatizei com ele só pelo fato dele ter aquela casa cheia de instrumentos musicais, soou tão "amo meu trabalho" *o*. Tá bom, não foi só por isso, não. Adorei o fato de ele proteger a Eun Chan e defendê-la quando Han Kyul começou a dar aquele piti horroroso quando descobriu que ela era mulher. Achei que ele merecia um final melhor, sei lá...


Han Yoo Joo é o tipo de personagem que você odeia antes mesmo de ela aparecer no drama. Eu odiei ela por vários motivos diferente:
1 - O Han Kyul era apaixonado por ela há 9 anos e ela sempre se fazendo de amiguinha dele.
2 - Ela chifrou o Han Sung, foi embora por 2 anos e voltou como se nada tivesse acontecido!
3 - Por várias vezes ela foi o motivo da Eun Chan ficar p. da vida, porque Han Kyul e Han Sung só tavam de olho na carniça!
4 - Ela chama aquele monte de rabiscos dela de arte? Querida, você tá precisando rever os seus conceitos.
5 - Quando o Han Sung trai ela com a Eun Chan, ela se sente no direito de dizer "Não se apaixone por ela! Não se envolva!". Como assim, produção? Revisão nas falas dos personagens de vez em quando é bom, ok?
6 - Quando ela faz alguma coisa de útil, que é engravidar do Han Sung e deixá-lo todo feliz, ela perde o bebê.
E mais um monte de motivos para odiá-la. Por fim, não gostei dela nem no final. E olha que eu geralmente acabo gostando dos personagens no fim, hein?


Tudo que eu tenho a dizer é que eu não gostei desses dois juntos no final, sério. Acho que ela devia ter ido embora com aquele ex-namorado dela e deixado que o Han Sung se apaixonasse de novo por uma pessoa melhor que ela. Sei lá, minha opinião...


Só eu achei hilário e morri de rir na parte em que os dois andavam na rua e batia aquele vento super forte onde eles passavam? Palmas para o cara que teve essa ideia genial. Eu achei simplesmente SENSACIONAL essa cena.


Assim como a cena do beijo falso, né? Nossa, eu não conseguia parar de rir com a surra que a mulher deu nele. Gente, adorei aquela mulher! E Eun Chan virando a cabeça para o mesmo lado, quando o Han Kyul disse para ela virar a cabeça? Ótimo! Essa foi uma ótima lição de Como dar um beijo totalmente técnico.


E, em uma das comemorações de mais uma escapada bem sucedida de encontros às cegas, Han Kyul beijou a Eun Chan! Só eu fiquei chocada com isso? Quando eu pensei que ele ia se tocar que ela era "homem" e sentir nojo, eu estava errada... Quem ficou enojada foi a Eun Chan! Agora, pode um negócio desse?


Porém, o personagem que me conquistou de verdade, foi o Ha Rin, o sem vergonha. Mais galinha, sem vergonha, fofoqueiro e pervertido que ele era impossível. Eu ri e chorei muito com ele, porque apesar de ser um daqueles personagens pastelões que o povo só gosta dos momentos "riso" dele, Ha Rin também teve seu momento de tristeza no final do drama. Quase morri chorando quando ele deu a carta para a "Minha-Chan" quando ela estava indo embora para a Itália. E foi graças à ele que o Han Kyul soube que a Eun Chan era mulher... Enfim, pra mim, ele foi o personagem top de linha!


Mais o que eu achei o absurdo do drama, foi escândalo que o Han Kyul fez quando descobriu que a Eun Chan não era homem e, sim, mulher. Ele tinha é que ficar feliz por sua suposta homossexualidade não era real de fato. Mas não, ele superou minhas expectativas, ele montou altos circo para dizer que estava magoado por ela ter mentido. Ok, achei digno ele ficar bravo por ela ter mentido para ele por tanto tempo, mesmo depois de ter dito que não se importava que ela fosse homem, que ele iria gostar dela até se ela fosse um alien, porém achei hiperbole aquele projeto de barraco que ele fez, mas fazer o quê, né? Pior que isso foi ela ter ido para a Itália e deixado ele, quando estavam bem. Coreanos queridos, percam essa mania de arranjar pretexto o tempo todo para o casalzinho se separar, ok?

Mensagem Subliminar:

Caso se apaixone por um homem, investigue, ele pode ser mulher!

3 comentários:

  1. Está aí um drama que também tenho que comentar!ahuaheuae Eu também gostei do Han Sung. Adorei a música que ele cantou. Chorei.
    Han Yoo Joo tbm odiei hahaha.
    Também preciso dramas pastelões. Baby Faced Beauty é mto bom nisso.
    Mas isso de se separarem no final e terem que ficar esperando por anos, meses para se reencontrarem é ridículo! Isso acontece em Boys Before Flowers, My Kim Sam Soon (odiei isso no final), Protect the Boss... Realmente TENSO.
    O que também acontece muito é contrato entre casais, quanto por beijo, por toque. Já saturei também.
    :q

    ResponderExcluir
  2. Cara, eu já meio que to vacinada contra passagens de tempo. Já começo a assistir um drama consciente de que não terá um beijo dignamente brasileiro, que vai ter uma passagem de anos, como 4 anos passando como se fossem 4 horas e gente indo embora no final... Isso me deixa totalmente irritada, mas nem por isso eu paro de assistir, porque tenho esperança que ainda vai existir um beijo de novela das nove, uma vilã no maior estilo usurpadora e sem passagem de tempo FIGHTING \õ/

    ResponderExcluir